Tocando agora:

...

...

Sting diz que canta como um cantor de heavy metal com mais melodia

23 de novembro de 2021

Sting deu uma bela entrevista ao youtuber Rick Beato para promover seu novo álbum “The Bridge”, e fez algumas revelações interessantes sobre seus processos criativos. Ao explicar porque cantava em tons mais altos nos tempos do Police, Sting se comparou a cantores de rock pesado: “Um sargento precisa gritar pra ser ouvido no meio de uma batalha. Um cantor também… Pra ficar acima do barulho da banda, você precisa chegar nesse registro; não dá pra ser barítono em banda de rock. Muitos cantores de heavy metal cantam ‘lá no alto’. Eu sou como um cantor de heavy metal, mas com um pouco mais de melodia”. Sting contou que, apesar de muitas vezes soar mais estudado ou sofisticado, é um músico autodidata e intuitivo: suas escolhas harmônicas mais complexas ou inusitadas acontecem “naturalmente”. “Eu começo com três acordes e depois a música meio que se escreve sozinha, não sei elaborar muito como acontece”, disse o cantor.

Aos 70 anos, recém-completados em outubro, Sting contou que abre seu show atual com “Roxanne”, em um arranjo voz e violão meio bossa nova, da forma como compôs a música originalmente, em Paris, em 1978. “Eu gosto de como ela não parece ter sido feita em 1978, como não soa presa a um determinado período de tempo”, explicou. Ele também falou sobre a decisão de deixar para trás a banda The Police, no auge, em 1984. “Pelo meu instinto, achava que nós tínhamos conquistado tudo que poderíamos, e depois daí vem uma diminuição da satisfação. Eu precisava correr esse risco – ao mesmo tempo em que sabia que todo o sucesso do Police naquele momento ajudaria a trazer atenção para lançar minha carreira solo”.